The King of Style: Dressing Michael Jackson (24)


Michael reconhecia o movimento como uma parte importante de seu vestuário de palco, desde o início de sua carreira. A primeira jaqueta que ele usou para Billie Jean no programa especial de aniversário Motown 25 em 1983 - quando ele estreou seu moonwalk - era uma jaqueta de sua mãe Katherine. Um momento tão icônico e nascido do impulso que teve Michael em usar algo que viu sua mãe usar alguns dias antes.

A jaqueta coberta com lantejoulas estilo Chanel foi comprada nas lojas Bullock em Sherman Oaks, Califórnia. A história é a seguinte: ela era negra e brilhante e Michael queria usá-la. Era simples assim.

Ao longo dos anos, a jaqueta Billie Jean seguiu sendo quase a mesma, exceto pelo tecido onde foram costuradas lantejoulas, o qual mudou ao longo de três décadas, afetando a textura da jaqueta.

A jaqueta de Katherine era em malha, no lugar do tecido mais moderno, Alex jersey, que é elegante, mas pesada. Nós tivemos que pesquisar para encontrar o tecido da jaqueta de Katherine, a fim de evitar os materiais estáticos que a tinham substituído.

Tradicionalmente, as lantejoulas abriam a malha e poderia se colocar o dedo sobre ela, mas evoluíram  para materiais mais sólidos, como o acetato. A malha saltava melhor e como Michael mexia bastante com a jaqueta, esperava que as lantejoulas captassem a luz como a jaqueta de Katherine.

Se a jaqueta não tivesse caimento quando Michael fizesse as voltas, o resultado era um fracasso. O que fazia Michael reclamar, "isso não é magia''.

"O que há de errado com a minha jaqueta?'', Michael perguntou durante uma das primeiras provas à qual eu assisti entre as duas fases da Bad Tour. Me olhava como se eu tivesse ido a uma das novas atrações da Disneylândia ainda antes da estreia.

''Não é tecido aberto'', expliquei para ele, apontando para a jaqueta de ponto Alex que levava. "Mas eu vou fazer uma que seja.''


*******

A mesma coisa aconteceu algumas vezes com a gravata. 

"Eu quero que a minha gravata esteja lá" - Michael girava e queria que a sua gravata ricocheteasse em torno dele como uma hélice de helicóptero. Foi por isso que ele parou a filmagem do curta-metragem Smooth Criminal em 1987.

''Quando eu girar'', ele me disse ''eu quero que a minha gravata esteja lá'' e apontou exatamente para onde ele queria que ela chegasse, no lado oposto de seu corpo.

Se as roupas não se movessem, então não funcionavam, de modo que, por sugestão de Dennis, eu costurei uma parte dentro da gravata para que ela pesasse. Em menos de cinco minutos e pelo preço de pechincha de 25 centavos, a gravata Michael passou de sóbria para uma hélice.




Enquanto as roupas de Michael lhe serviam, ele estava feliz, mas quando ele tinha acabado com elas, era como uma brusca ruptura. Era duro com elas e como ademais não teria nenhum apego, era muito generoso com elas. Ele tornou-se conhecido por doar suas jaquetas e chapéus aos fãs.

Em 1985, pouco depois de entrar para sua equipe, nós dois estávamos em um elevador com um fã que o amava e disse a ele com entusiasmo, "Eu amo a sua jaqueta, Michael".

Era uma jaqueta militar preta em estilo britânico; uma das primeiras que fizemos para ele. Da concepção à conclusão, levou três semanas para fazê-la. E tão simplesmente, Michael tirou a jaqueta e a entregou ao fã, dizendo, "aqui está".

Eu não podia acreditar. E se ele quisesse outra parecida? Como Dennis e eu iríamos lembrar dos ornamentos utilizados e o que ficava bem e o que não ficava? Tivemos que catalogar e fotografar todas as peças, para o caso de Michael sair por aí dando suas roupas sem pensar duas vezes.''

Extraído do livro The King of Style: Dressing Michael Jackson

Fonte: MJHideout

8 comentários:

  1. Tão displicente, ele, mas de maneira encantadora. E o que não daríamos por um chapéu, uma toalha que fosse, uma jaqueta?

    ResponderExcluir
  2. Lembrando do casaco que Michael jogou aos fas no WMW em 2007,em Londres, que quase levou o Roberto Cavali a loucura.

    Rosane, obrigada pela foto da calca dourada. Oops, da gravata rsrsr

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. O Cavali e o Bush viveram essa mesma situação, sobre ver Michael dando de presente suas jaquetas tão demoradas para se trabalhar. Fazer o quê, não é? :)

      Parabéns! Vc conseguiu ver a gravata na imagem! :D

      Excluir
  3. Adoro assistir os chapéus de Michael voando para o público e as jaquetas sendo atiradas para os fãs como no WMA 2006 em Londres.
    A gente sente que ele fazia isso porque era natural dele doar-se sempre ...
    Quem sofreu foi os estilistas dele rsrs...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, angel, ser estilista de alguém tão famoso e imprevisível era uma faca de dois gumes. :)

      Excluir
  4. "Tivemos que catalogar e fotografar todas as peças, para o caso de Michael sair por aí dando suas roupas sem pensar duas vezes.''

    Mais uma passagem adorável do livro de Michael Bush. Eu não fazia ideia de que a jaqueta que ele usou no especial Motown 25 era da D. Kathe e adorei saber também sobre as jaquetas e gravata que deveria "estar lá"! :D

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Dona Kathe era estilosa, não é? ;)

      Se eles não tivessem fotografado tudo, não teríamos acesso a muitas dessas imagens hoje.

      Excluir
:) :( ;) :D :-/ :P :-O X( :7 B-) :-S :(( :)) :| :-B ~X( L-) (:| =D7 @-) :-w 7:P \m/ :-q :-bd

*Bem-vindos, Moonwalkers! :) Os comentários são moderados e estarão visíveis tão logo eu esteja on-line.
**Para assuntos privados e não referentes à matéria eu peço que utilize o email [cartasparamichael@gmail.com] ・。.。・゚゚・。.。・゚゚・。❊
*Rosane [admin. do blog]

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...